Liliana Viana

(Pelo Dia Internacional da Mulher 2017)

Nunca o cristianismo viveu tempos mais desafiadores e para alguns desanimadores.

Já enfrentamos perseguições seriíssimas principalmente no inicio da era cristã. Já enfrentamos apatia, esfriamento, mas nunca enfrentamos tanta apostasia, tanta decadência moral como agora. Vivemos tempos difíceis:

A cada nova geração uma descida de degraus

Há quase dois mil anos atrás o apóstolo Paulo já havia alertado o pastor Timóteo que a igreja viveria nos últimos dias tempos muito difíceis.

Texto: 2 Timóteo 3:1-7

Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.

Novos modelos de comportamentos e de imoralidade crescente tem confrontado as famílias cristãs:

  • Divórcios
  • Morar junto
  • Leis sobre aborto
  • Casamento homossexual
  • Paradas gays
  • Relacionamento sexual fora do casamento
  • Ficar com muitos e muitas
  • Vestimentas que profanam ao Deus Soberano
  • Corrupção
  • Assassinatos
  • Estupros até mesmo dentro da família
  • Filmes e novelas com violência, comportamentos homossexuais até para crianças.
  • Grupos lutando para liberar a pedofilia
  • A falta crescente de amor
  • E a total desobediência

E o pior, estes comportamentos são vivências comuns até entre os cristãos, aqueles que foram chamados para viver e refletir a imagem de cristo.

E, como ser mulher cristã para esse tempo?

Muitas vezes a vontade será de fugir. E muitas estão fugindo.

Muitas de nós, com medo de enfrentar o monstro, preferem fugir de suas obrigações como mulher cristã.

Quero lembrá-las, rapidamente, da rainha Ester.

O povo judeu estava para ser exterminado. Este monstro era enorme demais para aquela linda mulher. Ela tentou ignorar o fato. Mas, Deus falou através da boca de seu tio Mardoqueu:

Ester 4:13,14

Então Mardoqueu mandou que respondessem a Ester: não imagines no teu íntimo que, por estares na casa do rei, escaparás só tu entre todos os judeus. Porque, se de todo te calares neste tempo, socorro e livramento de outra parte sairá para os judeus, mas tu e a casa de teu pai perecereis; e quem sabe se para tal tempo como este chegaste a este reino?
Se ela não enfrentasse o problema, ir a presença do rei para fazê-lo saber do que estava sendo tramado, os judeus iriam morrer, inclusive ela. O monstro/ o problema se tornaria maior.

Em outras palavras, Mardoqueu estava dizendo: Ester, quem sabe Deus não te colocou nesse Palácio, nesse tempo difícil na vida dos judeus, para manter o Seu povo vivo?

Irmãs queridas, Deus nos colocou para viver em tempos difíceis. E ele quer nos usar para levar a verdade de Cristo ao mundo.

Um fato interessante é que Ester precisou ser lembrada de quem ela era.

Rainha? Não, judia.

Ei Ester, você não é somente uma rainha. Você é judia!!!

Ela não podia se esquecer de que fazia parte de um povo escolhido, separado por Deus. Mais importante do que ser rainha, Ester era povo de propriedade exclusiva de Deus.

Ei você, minha querida irmã, não é somente uma mulher, você é serva!!!

Estamos precisando nos lembrar disto sempre. Hoje festejamos o dia internacional da mulher. Temos muitas lutas a vencer como mulheres. Mas, estamos em uma guerra espiritual e batalhamos ao lado de nosso rei e general. Somos discípulas do Senhor.

Ei querida, lembre-se: mais importante que ser Mulher nos tempos de hoje, você é uma serva de Cristo!!!

Portanto, sirva-O como tal, vivendo não só de palavras, mas de atitudes que condizem a um discípulo do Mestre e Salvador de todos nós: Jesus Cristo.

Anúncios

Jacó (Israel) quando foi morar no Egito e reencontrar José tinha uma descendência de 70 almas (incluindo a família de José).
Era uma grande família, mas não como a areia do mar como prometera Deus.
Passados 17 anos ele estava velho e doente com os seus 147 anos.
Seus olhos não podiam mais ver direito.
Contudo, ele estava convicto que Deus faria dele uma grande nação.
Isso se chama fé.

Jacó sabia que estava morrendo e que seus descendentes ainda não eram como as estrelas do céu. Mas, Ele sabia quem Deus é.
Sua fé não estava firmada nele, nem no filho governador do Egito, ou em algum de seus descendentes.
Ela estava firme no seu Deus, aquele que é fiel para cumprir o que prometeu.

Que os nossos olhos, que humanamente não podem enxergar o que Deus está para fazer, possam ser iluminados pelo Espírito de Deus para com os olhos da fé enxergar o Deus que era, que É e que há de ser: O Todo Poderoso habita entre nós e cuida do seu povo.

José tinha 17 anos quando foi vendido por seus irmãos. Ficou na casa de Potifar, depois foi para prisão e deve ter ficado ali uns 12 anos. Aos 30 tornou-se Governador do Egito. Muito tempo de espera. Muito tempo na prisão.
Mas, Deus era com ele renovando sua fé. Ele sabia em quem cria.

Que possamos crer que, independente do tempo, Deus não perde o controle de nada.
Ele virá em nosso socorro.

Na história dos patriarcas de Israel podemos notar que eles estavam sempre oferecendo sacrifícios a Deus, erguendo um altar em adoração ao Altíssimo, entregando suas ofertas e dízimos como gratidão ao que Deus é.
Que nossas vidas sejam um constante cultuar.

RUMO A EBD (Escola Bíblica Dominical)

Há 50 anos chegávamos em BH/MG, no dia 12 de janeiro de 1967. Cheios de sonhos e expectativas.
Logo arrumamos uma igreja para congregar e passamos a frequentar a Igreja Batista do bairro da Graça. Íamos em praticamente todas as programações e éramos assíduos na EBD.
Com isso podemos afirmar que estamos estudando a Palavra de Deus durante estes 50 anos. Uma escola com ensino INESGOTÁVEL. Nunca poderemos dizer que já estamos formados, ou já detemos todo conhecimento. Diferentemente de qualquer outro livro, que lido durante 50 anos já estaria enfadonho e totalmente desvendado, a Bíblia é a fonte da sabedoria de Deus e nenhum de seus leitores um dia poderá dizer: não preciso mais estudá-la, já sei tudo. Seu segredo está em ser a Palavra do próprio Deus, o Deus que é a profundidade da riqueza, da sabedoria, de juízos insondáveis e caminhos inescrutáveis. Quem poderá conhecer Sua mente? Todavia, podemos ter intimidade com este Deus relacional e conhecer Sua vontade através de Sua Santa e rica Palavra.
50 anos de EBD me ajudou a estar mais perto do meu Senhor.
Por isso quero te convidar a ser um aluno desta escola. Não espere por diplomas, pois você ganhará muito mais que isso. Você terá como recompensa o próprio Deus da palavra.
Domingo vamos todos RUMO A EBD!

ESTE LUGAR É ESTAR EM CRISTO, NOSSO PORTO SEGUROlilica-49

Hoje quero conversar sobre um caso visto por muitos como INJUSTO: Quando Sara mandou embora sua escrava egípcia Agar junto com Ismael.

Todos nós temos o nosso juízo de valor. Ou seja, temos o nosso conceito sobre algo estar certo ou errado e emitimos um julgamento baseados no nosso ponto de vista pessoal que é construído num sistema de valores determinado.

Pois bem, vamos analisar a questão de Sara e Agar descrito em Gênesis capítulo 21.8-21.

Abraão estava dando um banquete, pois Isaque havia sido desmamado. Provavelmente ele estava com uns 3 anos. O conflito que já existia entre Sara e Agar se agrava quando Ismael (jovenzinho de 16 a 17 anos) começa a zombar de Isaque. A bíblia não relata que tipo de zombaria, mas Sara fica profundamente irritada. A palavra traduzida para caçoar/ zombar, não se refere a nada muito sério, tal como um crime, uma violência física.

De acordo com os costumes da época, Ismael era filho de Sara e não de Agar, e na falta de um filho legítimo ele era o herdeiro de Abraão. Com a chegada de Isaque, Ismael perde o direito de ser o principal herdeiro, o que não o desfavorece, pois Abraão era um homem muito rico. Então, o conflito aqui encontrado provavelmente não provinha da futura partilha de herança. Mesmo que pelos costumes Ismael era filho de Sara, o menino cresceu sendo rejeitado por essa. Anteriormente eles já haviam sido grandemente maltratados por Sara. Todavia, uma rejeição não pode ser nossas justificativas para praticas erradas e injustas.

“Antes Sara já havia maltratado Hagar (Gên. 16.6); agora o filho de Hagar tinha maltratado o filho de Sara. Antes Sara havia feito Hagar, grávida, fugir (Gên. 16.6); agora ela fazia fugir Hagar e seu filho adolescente” (Allen P. Ross).

Quando Sara enfurecida pela zombaria de Ismael pede a Abraão que os mande embora, ao patriarca pareceu muito penoso (Gên. 21.11), no original hebraico diz: “isso pareceu excessivamente mau aos olhos de Abraão”. Sim, era mau. A exigência de Sara era injusta. Provavelmente ela desejasse fazer isso há tempos, e agora havia chegado a oportunidade e o motivo perfeito para tal ato. Ismael era amado pelo pai, mas um amor secundário. Ele não estava disposto a contrariar sua esposa.

A centralidade do que queremos abordar está no verso 12 de Gênesis cap. 21, quando Deus redunda em bem o mal que estava sendo feito. Deus transformou em bem a traição dos irmãos de José, a traição de Judas redundou em Glória e Salvação, mas isso não justifica os traidores. Isso não nos dá o aval para praticarmos injustiças, acreditando que Deus irá corrigi-las. Assim, podemos ver na maldade de Sara, que tão bem aponta para nossa própria maldade, que Deus pode converter nossas injustiças em bem se fazendo justiça por nós. Com certeza aqueles dois irmãos que formariam duas nações não poderiam prosseguir sempre juntos em suas caminhadas e Deus agiria da forma e propósitos dEle. Mais uma vez Sara comanda as coisas dentro de sua própria vontade e desejos. Quantas vezes fazemos isso, queremos ter o controle da história que é regida por Deus?

Deus acalma o coração de Abraão e lhe diz que cuidará, e cuidou de Agar e do menino Ismael. O Soberano diz que através dele faria surgir uma grande nação (as nações Árabes). De Isaque vem Israel, de Israel a salvação, Aquele por quem todas as nações (incluindo Ismael/ Os Árabes) seriam abençoadas com a sua completa Justiça.

Alguns Caminhos são difíceis de serem percorridos. Um deserto nunca é fácil. Não sabemos também o que se passava no coração de Sara, temos ideias dos temores de Agar, mas não caminhamos junto com elas para conhecer suas angustias. Por vezes na vida vamos nos deparar com estradas inevitáveis, perigosas, e às vezes injustas, mas que teremos que percorrer. No entanto, que não nos falte uma certeza: Aquele que se fez Justiça por nós caminha ao nosso lado. De nada teremos falta.

Visite meu outro BLOG

POR CAUSA DA FLOR. Essa é uma simples estória de uma lama, que morou perto de uma flor e adquiriu o seu perfume. Que sejamos contagiados pelo aroma de Cristo. DEle somos o Bom Perfume.
http://porcausadaflor.wordpress.com/

REFLEXÃO

Quando nos deparamos com a escolha de caminhos, a questão não é: Isto é bom ou mau? É útil ou nocivo? Não; a pergunta deve ser: ‘Isto é do mundo ou de Deus?’ Uma vez que só há este conflito no universo.

(Watchman Nee)

A BÍBLIA EM AUDIO

A Palavra de Deus para aqueles que não podem ler ou enxergar, e para os que desejam ouví-la no carro ou em momentos de comunhão a sós ou em família. Narrada pelo Pastor Paulo Castelan, editada em 2001, com texto ACF da Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil. (Clique na Imagem)

%d blogueiros gostam disto: