Liliana Viana

Archive for the ‘Em Cena’ Category

Senhor, o que poderia dar-te em retribuição ao seu amor por mim.

Não tenho muito meu Senhor, somente meu talento, que por ti me foi concedido.
(Olhando para a plateia)

Meu nome é Dorcas e sou da cidade de Jope, na costa do Mediterrâneo.
Ainda me recordo do dia que o Senhor me encontrou. Meu coração se encheu de alegria e tornei-me sua discípula. Queria servi-lo com tudo que possuía e com aquilo que sabia fazer. Muitos careciam de atenção, do amor que só o Deus da graça e misericórdia pode dar. Muitos eram os órfãos e as viúvas que não tinham amparo vindo dos governantes. A igreja crescia em minha cidade e havia em nossos corações o desejo de compartilhar, de levar a justiça social ao mais necessitado.


Como posso pensar em desfrutar de bens matérias quando existe ao meu lado um necessitado de pão? Como posso adquirir várias vestes se ao meu lado caminha um que nada tem?
Eram muitas viúvas na nossa localidade e para elas confeccionei túnicas, vestes que pudessem cobri-las do frio e amenizar suas angustias.


Um dia senti que meu corpo não correspondia ao vigor de minha alma. Entre tecidos, agulhas na mão a vida se despedia e a hora do encontro tão esperado com o Salvador chegou.
Os discípulos pediram que dois irmãos fossem até Lida chamar o apostolo Pedro, que prontamente viajou até Jope.
Meu corpo sem vida já havia sido colocado em um quarto alto e minhas queridas viúvas, chorando, ao apostolo mostraram as roupas por mim feitas.
No silêncio do meu descanso ouvi: Tabita Levanta-te!
Como não atender a uma ordem que não partiu dos lábios de Pedro, mas veio direto da Vontade Suprema do Senhor amado.

Tabita Levanta-te!
Levanta-Te para a vida!
Levanta-te para a Obra que o Seu Senhor a te confiou!
Levanta-te e leve justiça ao necessitado, alento ao oprimido, pão ao faminto e amor aos que sofrem.
Levanta-te e leva a Luz de Cristo para este mundo!

De Liliana Viana (Tive a ousadia de incluir algumas sugestões na interpretação – entre parênteses, em negrito e itálico).

Muitas mulheres desejariam estar no meu lugar. Viajei com meu marido por muitos lugares: Siquém, Carvalho de Moré, Neguebe, estivemos no Egito, conhecemos o Faraó, habitamos junto a Hebrom, em Cades, Sur e em Gerar. Um dia, Deus prometeu a meu marido que daria a ele e a nossa descendência toda a terra de Canaã. Deus fez nossa família prosperar grandemente, com terras, rebanhos, gado e tendas.

Materialmente nada me faltava. Eu tinha até as minhas escravas particulares. Contudo, eu não era uma mulher feliz. Faltava-me um filho. O sonho de ser mãe era impossível, pois eu era estéril.

Sempre que Deus se revelava ao meu marido lhe prometia uma descendência. Descrente que esta descendência viria de mim, até mesmo dei uma de minhas escravas para coabitar e dar um filho ao meu esposo.

Porém, Deus tinha outros planos. E os planos do Senhor Todo Poderoso nunca podem ser frustrados. Nem mesmo eu, com minha descrença e meu riso de incredulidade, poderia impedir os milagres que Jeová estava para fazer. 

Um dia, Deus apareceu a meu marido Abrão e fez uma aliança perpetua com ele. Mudou-lhe o nome para Abraão, que significa “pai de numerosas nações”. Nesta época, Ismael, o filho de meu marido com a escrava, já era um adolescente. Contudo, a promessa de Deus estava na minha casa, na minha família, que havia sido constituída com a bênção do Senhor.  Assim, Deus mudou também o meu nome. Não me chamaria mais Sarai, mas Sara seria o meu nome.

Entendes? (usar expressão de quem questiona, mas espera que a platéia já tenha captado a mensagem que está na entrelinha) Com a mudança do meu nome, o Altíssimo estava dizendo que eu seria mãe das nações e que reis de povos sairiam de mim. Deus estava mudando não só o meu nome, mas mostrando com isso o meu futuro.

(Depois de fechar a frase acima, dar risadas com um misto de alegria e descrença)

(Parar de rir instantaneamente e com semblante sério…passando para a amargura)

Como isso seria possível?  Como eu não poderia rir? Eu era uma velha de 90 anos. Não só era estéril, mas meu útero já estava seco. Mas, quem pode frustrar os planos de Deus e os milagres que Jeová quer e vai fazer.

(Com singeleza, alegria e gratidão)

E, no tempo determinado, meu riso descrente estava em meus braços. Meu lindo bebezinho. Deus me deu motivo de riso; e você que me ouve, vai rir junto comigo. Quem teria dito a Abraão que Sara amamentaria um filho?

Pois na minha velhice, Deus me deu Isaque!

Deus me fez sorrir!

Deus me deu uma nação!

Que alegria fazer parte deste musical!

Há cerca de 12 anos eu fui convidada para ser a Coelhinha da Cia da Amizade, na Primeira Igreja Batista em Vila da Penha/Rio de Janeiro. É maravilhoso ver este coral de Juniores que deu muitos frutos para o Reino. O primeiro rosto a aparecer no vídeo da 1ª parte (com óculos) é o Raphael Theodoro, missionário atualmente no Nepal/Ásia. No grupo vocal das flores temos o atual Pastor Fábio Luciano e o missionário e cantor gospel Bruno Jovita Xavier, do Grupo Promisses, dentre outros jovens que são bênçãos nas suas igrejas.

Fazer esta coelhinha foi um presente. Foi maravilhoso ensinar através do personagem que o amor de Deus e o seu perdão são ilimitados, que a amizade é um dom precioso que devemos preservar. Na época conquistei o carinho das crianças da igreja e isto foi muito bom. Ganhei muitos amiguinhos. Quando aceitei o desafio eu não sabia que teria que fazer um solo com a mesma voz infantil usada pela personagem. Tudo foi um grande desafio e a dependência de Deus era total. Os ensaios eram divertidos e a apresentação foi uma bênção e uma delícia.

Participantes: Coro de Juniores da Primeira Batista em Vila da Penha, Regente Gisele, Narradora Andréa Mascarenhas, e os bichinhos: Paulinho (Elefante), Jorginho (O bicho esquisito), Robson (Cachorro), Débora (Ovelhinha) e eu, Liliana (Coelhinha)

Confira todo o Musical clicando nos links abaixo:

Musical Infantil CIA da Amizade – 1ª parte

Musical Infantil CIA da Amizade – 2ª Parte

CIA da Amizade- Solo Coelhinha

Abaixo estou postando o solo da Coelhinha, ou veja direto no Youtube no link citado acima. “É só fazer um bico e um abraço preparar. Eu acho que os dois combinam muito. Um pouco de amor nunca não faz mal. Um beijo e um abraço é legal”.

Disponibilizamos abaixo desenhos de Vestimentas da época de Cristo, que podem ser utilizados em peças ou cantatas.

No ano de 2001 tivemos a alegria de participar da Cantata de Páscoa ¨Cordeiro de Glória¨, na Primeira Igreja Batista em Vila da Penha. Além de interpretar Maria, minha participação foi na direção da parte cênica e na elaboração do figurino.

Esperamos que tenham utilidade.

Estamos postando abaixo quatro Monólogos de Mulheres da Bíblia. Este trabalho nos foi solicitado pela Ministra de Música Danielle Cerqueira, para apresentação do Musical Mulheres de Fé, na Primeira Batista em Vila da Penha/Rio de Janeiro, em 05/09/1999.

As personagens bíblicas testemunhavam sua fé e, sob a orientação do Espírito Santo, fizemos uma ligação da experiência vivênciada com a adoração que seria apresentada pelo lindo coral composto por 200 mulheres.

Portanto, após o texto de cada monólogo, seguem parte das letras dos hinos entoados naquela noite. Use este material para abençoar vidas.

— *** —

A MULHER CANANÉIA

Um dia, Deus colocou uma nova canção em meu ser, canção em seu louvor. E hoje, posso a todos dizer: Sou de Cristo, sei que sou.

Sou gentia, de origem Siro-fenícia, uma Cananéia. Morava nas fronteiras de Tiro e Sidon e antes de conhecer Jesus, era uma idólatra.

Por diversas vezes ouvira falar de Jesus e do seu poder. E tão logo Ele chegou a região de Tiro e Sidon, o meu amor maternal me impulsionou a ir ter com Ele. Eu cria no seu poder e no seu Senhorio. Por isso, clamando: Senhor, filho de Davi, tem misericórdia de mim! Lancei-me aos seus pés.

A minha filha estava miseravelmente endemoniada e eu sabia que, só Jesus poderia libertá-la. Ele ficou em silêncio, somente os seus olhos de amor me fitavam. Os seus discípulos queriam que Ele me mandasse embora, e Jesus respondeu: Deixa primeiro saciar a fome os filhos, porque não convém tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. No momento suas palavras pareceram-me duras, mais tarde, olhando com olhos espirituais que só os salvos têm, pude compreender que não havia preconceito em sua atitude e que em primeiro lugar, Jesus não estava naquela região para fazer milagres, estava para descansar e um milagre atrairia multidões suplicando alívio de suas enfermidades. Ele veio curar a alma e não o corpo. Em segundo lugar, Cristo testava a minha fé e queria saber se eu realmente cria que Ele era o Messias ou estava apenas repetindo o nome que outros diziam.

Prostrada aos seus pés, eu o adorei e disse-lhe que até os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus senhores.

Ele me amou, amou minha filha e disse-me: Ó mulher! Grande é a tua fé, seja feito para contigo o que desejas. Naquele mesmo instante a minha filha ficou sã.

Foi a minha aflição que me levou até o mestre e a minha fé resultou no milagre em nossas vidas. Eu precisava louvar pela minha necessidade pois foi ela que me levou aos pés do Mestre. Sem ela, nunca teria conhecido a salvação. Aflições e dificuldades trazem algumas das dádivas mais ricas para as nossas almas. A verdadeira fé é persistente em face das dificuldades.

Não há raça fora do amor e compaixão de Jesus Cristo. Ele quebrou todas as barreiras de classe e de raça. Na sua atitude para comigo, Jesus estava preparando os seus discípulos para esta verdade. Seu amor é universal e a sua propiciação é para o mundo inteiro.

Sei que sou de Cristo. Ele é Rei. Sobre os poderes das trevas, sobre o reino do inferno, Cristo é Rei. Com Ele não tenho temores, pois mediante a provas, tentações e conflitos, eu sei que Ele é o meu Rei, Senhor glorioso.

HINOS ENTOADOS PELO CORAL

SOU DE CRISTO

SOU DE CRISTO SEI QUE SOU. EU CREIO NAQUELA CRUZ. MINHA ALMA SE ALEGROU COM O TOQUE DE JESUS E SE A NOITE ESCURA INSISTEEM ME AFLIGIR. SOU DE CRISTO, SEI QUE SOU.

SENHOR É GLORIOSO

SOBRE OS PODERES DAS TREVAS, SOBRE O PRÍNCIPE DO AR, SOBRE O REINO DO INFERNO, CRISTO É REI… SOBRE AS PROVAS E TENTAÇÕES, SOBRE MINHA CULPA E PECAR, ACIMA DOS MEUS CONFLITOS, CRISTO É REI…. ACIMA DE TUDO CRISTO É REI.

— *** —

 A SOFREDORA

Eu sabia que a hora não era conveniente para me aproximar de Jesus, mas encorajada pela notícia de que outros tinham sido curados por tocar a orla de suas vestes, o procurei.

Sofria de um fluxo de sangue há 12 anos. A minha doença era tida como resultado do pecado e me privava do contato com a sociedade, pois quem me tocasse seria considerado imundo.

Já havia esgotado todos os recursos e esperanças. A ciência médica aumentou o meu sofrimento em vez de diminuí-lo.

Ouvira falar de Jesus e de seus milagres. Era o nascer da fé em meu coração. Arrisquei tudo sobre um toque de fé e fé bem imperfeita, pois estava baseada em amor próprio. Queria a vantagem da cura e, também, era cheia de superstição porque queria tocar apenas a capa de Jesus.

Naquele dia, enquanto Jesus caminhava para a casa de Jairo, chefe da Sinagoga, onde a filha deste jazia entre a vida e a morte, uma grande multidão o acompanhava. A timidez natural da mulher e o caráter de minha doença fizeram-me procurá-lo às escondidas.

Toquei-lhe as vestes. No mesmo instante o fluxo cessou; Eu estava curada, completamente curada.

E, entre todos os apertos, Cristo sentiu que de si saía virtude e perguntou: Quem foi que me tocou?

A alma pode alcançar a Cristo através de todos os obstáculos sem a multidão saber. Mas logo que experimenta a força da nova vida, terá de confessá-lo.

Receosa e trêmula, prostrando-me perante Ele, declarei a todo o povo a causa por que lhe havia tocado e como logo fiquei sarada.

Não foi simplesmente o toque, mas sim a fé que me ligou à alma de Cristo.

Com terno amor, o meu Senhor falou-me: Tem bom ânimo, filha, a tua fé te salvou, vai em paz.

Em quem poderia confiar? Quem seria meu refúgio?

Nele encontrei esperança e futuro.

Cristo meu refúgio, coloco em ti a minha confiança. Eu confioem Ti Senhor!

Acredito que me vês em tempos difíceis e se a tempestade sobre mim vier, colocarei em ti minha esperança e canção.

HINOS ENTOADOS PELO CORAL

TU ÉS MEU REFÚGIO

CRISTO TU ÉS MEU REFÚGIO,EM QUEM POSSO CONFIAR? COLOCO A MINHA CONFIANÇA EM TI. TENHO ESPERANÇA, TENHO FUTURO DÁDIVAS DO SENHOR, OH SIM EU CREIO! OH SIM EU CREIO!

EU CONFIO EM TI

EU CONFIOEM TI SENHOR, ACREDITO QUE ME VÊS NOS TEMPOS DIFÍCEIS QUE ESTA VIDA TRAZ. EU CONFIOEM TI SENHOR! AS MONTANHAS MOVEREI POIS MINHA FÉ ESTAEM TI. SE ATEMPESTADE SOBRE MIM VIER COLOCAREIEM TI MINHA ESPERANÇA E CANÇÃO!

— *** —

ANA

Sou Ana, uma das esposas de Elcana, da tribo de Efraim. Apesar de ser amada pelo meu esposo e ser muito religiosa, pois anualmente ia até Siló para oferecer sacrifícios na tenda da revelação, habitação de Deus, eu era muito infeliz. Era estéril e isto era uma vergonha, pois não poderia dar um filho ao meu marido e também já estava muito velha. Para piorar a minha dor, Penina, a outra esposa de meu marido e que já tinha lhe dado filhos, sempre me provocava com o objetivo de me irritar. Eu sonhava em ser mãe, levar em meus braços o meu bebezinho, acariciá-lo, amá-lo.

Sabia e reconhecia que o meu Deus, O Todo Poderoso, poderia me ajudar. Em uma de minhas idas à Siló, fui ao templo orar. Com amargura de alma e chorando abundantemente, fiz um voto dizendo: Senhor dos exércitos! Se benignamente atenderes para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva não esqueceres, mas a tua serva deres um filho varão, ao Senhor o darei por todos os dias da sua vida. A minha angústia era tamanha, que até o profeta Eli, ao ver-me orar, quando somente meus lábios mexiam, tomou-me por embriagada. Ao contar-lhe a minha aflição, Eli despediu-me desejando a paz e que o Deus de Israel atendesse a minha petição.

Ao sair do templo, ainda pelo caminho, meu semblante já não era de tristeza e naquela madrugada pude louvar ao Senhor com inteireza de coração.

Pouco tempo depois o Senhor lembrou-se de mim, concebi e dei a luz a Samuel “porque de Jeová o pedi”.

Deus havia respondido minha oração e eu cumpri o meu voto. Ainda menino, levei Samuel e o entreguei ao Senhor, por todos os dias do seu viver.

Alegremente orei ao Senhor: O meu coração exulta ao Senhor, o meu poder está exaltado no Senhor: a minha boca se dilatou sobre os meus inimigos, porquanto me alegro na tua salvação. Não há santo como é o Senhor; porque não há outro fora de ti: e rocha nenhuma há como o nosso Deus.

Eu amava o meu filho, mas sabia que ele não pertencia a mim e sim ao reino de Deus. Por isso o entreguei. Todos os anos nós íamos ao templo visitá-lo e levava-lhe uma túnica de presente.

O Senhor foi tão maravilhoso comigo que me deu mais 3 filhos e duas filhas, enquanto Samuel crescia na presença do Deus Altíssimo.

Deus havia olhado para o meu coração, puro, repleto de fé. O que daria eu ao Senhor? Ofereço o meu ser a Ti, Senhor! Ofereço o que tenho de melhor. A minha vida, a extensão da minha vida, usa para o poder da sua glória.

HINOS ENTOADOS PELO CORAL

PURO DE CORAÇÃO

PURO DE CORAÇÃO EU QUERO SER A TI VOU CONSAGRAR O MEU VIVER MEUS PASSOS VEM GUIAR. COM TEU AMOR SEM PAR. DE CORAÇÃO PURO SEREI.

OFEREÇO MEU SER A TI, SENHOR.

TUDO O QUE SOU TUDO O QUE É MEU EU OFEREÇO A TI, SENHOR. TODAS AS MAGOAS, TODO O APLAUSO A DOR E A ALEGRIA TE ENTREGO, SÃO TEUS. EU OFEREÇO O MEU SER A TI, TUDO O QUE TENHO EM MIM, USA PARA TUA GLÓRIA.

— *** —

A MULHER SAMARITANA

Sou descendente de Jacó e moro na cidade de Sicar. Certo dia, saí de minha casa, perto do meio dia, e fui ao poço de Jacó para buscar água. Os poços de água no oriente eram uma espécie de centro social. Como a minha vida era muito irregular, escolhi aquela hora por ser o momento em que poucas pessoas iam até o poço. Eu desejava evitar o encontro com outras pessoas, mas eu não sabia que naquele dia, encontraria alguém que mudaria toda a minha vida.

Quando lá cheguei, encontrei um homem judeu que pediu-me para dar-lhe de beber. Não compreendendo, perguntei-lhe como sendo ele um judeu, dirigia-me a palavra? Eu, uma Mulher e ainda por cima Samaritana? Pois mesmo vindo da descendência de Jacó os nossos povos eram inimigos.

Então o homem me disse que se eu conhecesse o dom de Deus e quem estava a me pedir água, certamente lhe pediria água viva. As coisas ficaram confusas, pois eu ignorava esta dádiva e de onde vinha. Como poderia ele dar-me água viva se não tinha nenhuma vasilha para tirá-la? Aquele poço era muito fundo e até mesmo o nosso pai Jacó não poderia tirar sem usar uma corda.

Aí ele me explicou que a água viva dá satisfação permanente, mana de uma fonte interior e produz vida eterna. Desejei beber daquela água e pedi-lhe que a me desse.

Daquele momento em diante, o nosso diálogo mudou o rumo. Ele pediu-me para que fosse buscar o meu marido e quando falei-lhe que não tinha marido, disse-me: Disseste bem, pois tiveste 5 maridos e o que tens agora não é teu.

Acreditei que se tratava de um profeta e logo quis saber onde deveríamos adorar ao Senhor: Se no monte ouem Jerusalém. Eleme explicou que a verdadeira religião não se limita a um lugar pois Deus é Espírito e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.

Rapidamente falei-lhe que cria no Messias, que se chama o Cristo; e que quando viesse, nos anunciaria tudo.

Com um olhar firme e doce, revelou-se a mim e disse: Eu o sou, eu que falo contigo.

Só então pude contemplá-lo com os olhos da fé. O meu Senhor estava diante de mim, como não percebi antes? Somente o meu Deus poderia me ver por dentro, conhecer o meu ser e o meu coração.

Os seus discípulos chegaram e não pude continuar falando com ele. Mas a sua voz ecoava dentro do meu coração. Larguei o meu cântaro pois não queria que nada me impedisse de correr e falar do seu amor.

Tempos mais tarde, soube que ele morria em meu lugar, numa cruz maldita que era minha, pois era uma pecadora.

Como poderia me calar? tinha que contar a todos, tinha que gritar, tinha que cantar, pois precisavam crer que ele era o Messias de Deus, o salvador amado que secou o meu pranto, a minha vida renovou e não olhando para os meus pecados me amou, levou a minha cruz, a minha dor e tristeza, e a sua vitoria ao mundo declarou.

HINOS ENTOADOS PELO CORAL

COM TODO O MEU CORAÇÃO

JESUS EU TE AMO E SEMPRE TE AMAREI QUERO ESTAR BEM JUNTO A TI NA PAZ DESTE LUGAR E SOBRE O TRONO COLOCAR MEU SER E MEU PESAR POIS TU CONHECES O MEU VIVER, MEU SER MEU CORAÇÃO. E O MELHOR QUE HÁ EM MIM COLOCO EM TUAS MÃOS.

LEVASTE MINHA CRUZ

HOJE EU QUERO PREGAR  QUE A VIDA ME MOSTROU. O SOL ME ILUMINOU FOI TUDO PREPARADO PARA QUE EU VISSE O SEU AMOR ENTÃO FOI REVELADO O TORMENTO DESSA CRUZ QUE ERA MINHA JESUS.

LEVASTE MINHA DOR. CANTAR, GRITAR A VERDADE QUE FICOU DO PRANTO QUE SECOU A VIDA RENOVADA A TRISTEZA QUE ACABOU VITORIA DECLARADA.

Apresentamos este monólogo da Mulher Samaritana no domingo 08 de maio de 2011, antes de ministrarmos a mensagem com base no mesmo texto de João 4.5-30.

Que sua vida seja abençoada!

Lindo Teatro com Sombras da Igreja Geração Eleita – Olaria, Rio de Janeiro. Foi apresentado no domingo de Páscoa, 24 de abril de 2011.


Visite meu outro BLOG

POR CAUSA DA FLOR. Essa é uma simples estória de uma lama, que morou perto de uma flor e adquiriu o seu perfume. Que sejamos contagiados pelo aroma de Cristo. DEle somos o Bom Perfume.
http://porcausadaflor.wordpress.com/

REFLEXÃO

Quando nos deparamos com a escolha de caminhos, a questão não é: Isto é bom ou mau? É útil ou nocivo? Não; a pergunta deve ser: ‘Isto é do mundo ou de Deus?’ Uma vez que só há este conflito no universo.

(Watchman Nee)

A BÍBLIA EM AUDIO

A Palavra de Deus para aqueles que não podem ler ou enxergar, e para os que desejam ouví-la no carro ou em momentos de comunhão a sós ou em família. Narrada pelo Pastor Paulo Castelan, editada em 2001, com texto ACF da Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil. (Clique na Imagem)

%d blogueiros gostam disto: