Liliana Viana

Archive for the ‘Corpo, voz e expressão’ Category

Eu queria ser poeta e compor a mais bela das poesias.

Queria como Drumond perceber as pedras NO MEIO DO CAMINHO,

Contudo, ver-te amigo a segurar-me pelas mãos e juntos transpô-las uma a uma, faz renascer em mim a esperança quase perdida e dessas pedras erguer um altar de adoração, e da dor arrancar uma doce canção.

Como Cecília, a Meireles que encontrou MOTIVO para cantar não pelos momentos de alegria ou tristeza, e mesmo atravessando noites e dias no vento se deixa levar pelo sangue eterno da canção e assim poder nas asas do canto viajar.

Amigos, ouço suas vozes que soam como música suave, a acalentar minh’alma e trazer refrigério nas notas de uma perfeita canção.

Queria ser poeta Talvez como Mirtes Mathias, a suave irmã, que sabia como ninguém te levar ao calvário e olhar nos olhos do Salvador e sentir a vergonha, talvez vivida pelo assassino cruel, e poder Assim como Barrabás Cantar: Porque me olha assim com tal doçura? Dessem-me a cruz, a forca e a tortura, mas nunca a força e o amor daquele olhar.

É esse olhar de misericórdia do Salvador que vejo em seus olhos, a cada vez que você vem em meu socorro nas horas difíceis da vida.

É esse olhar de amor que nos faz entender a obra completa da cruz.

Ah, eu queria ser poeta e compor a mais bela das poesias.

Não para gerar reconhecimento, encantamento e êxtase nos corações.

Mas para expressar de forma poética a minha eterna e completa gratidão.

Gratidão ao Deus do Caminho que me faz transpor as pedras, que coloca uma canção nova na minha boca e coração, e me leva do calvário ao sepulcro aberto da ressurreição.

A morte não pode vencê-lO.

Da morte para a vida. Vida que renasce em minh’alma, através do seu olhar amigo, do abraço quente e demorado, ou até mesmo num simples aperto de mão.

Obrigada Amigo! Obrigada por ser Cristo em minha vida, meu irmão!

(ASSISTA TAMBÉM EM VÍDEO)

 

Anúncios

Alma da gente de minha terra que em minha lingua pede amor. Alma da gente de outras terras, que em outras linguas também pede amor…

Não importa que o Seu mistério me faça limitada. Não posso ser tudo, serei o nada em que se transforma o fosforo depois de acender a luz….

Eu ficarei com a alma dos homens que podem ser espelhos onde Deus se reflete ou podem povoar o inferno, se eu serrar os meus lábios e cruzar minhas mãos..Uma multidão caminha sem Deus. Por trás de um triste olhar existe um coração, uma alma que precisa de salvação.
Precisamos levar a luz de Cristo a estas almas perdidas.

Poesia declamada na apresentação do Coral Athus, na PIB de Bonsucesso, em 05 de maio de 1991. Assista abaixo o Vídeo da Poesia e o lindo Solo do Marcelo Marano, ou vá direto no link do YOU TUBE

http://www.youtube.com/watch?v=ITTVYM2Y6_U

Poesia de Gióia Júnior, A GRANDE CANTATA DE NATAL. Devido ao tempo da Cantata, a poesia foi adaptada e não foi declamada na integra.

Noite de Talentos no Ministério Gileade – Penha/Rio de Janeiro

Data: Julho de 2004

Poesia Declamada: Assim Cantaria Barrabás, da autoria de Myrtes Mathias

Este slideshow necessita de JavaScript.


Visite meu outro BLOG

POR CAUSA DA FLOR. Essa é uma simples estória de uma lama, que morou perto de uma flor e adquiriu o seu perfume. Que sejamos contagiados pelo aroma de Cristo. DEle somos o Bom Perfume.
http://porcausadaflor.wordpress.com/

REFLEXÃO

Quando nos deparamos com a escolha de caminhos, a questão não é: Isto é bom ou mau? É útil ou nocivo? Não; a pergunta deve ser: ‘Isto é do mundo ou de Deus?’ Uma vez que só há este conflito no universo.

(Watchman Nee)

A BÍBLIA EM AUDIO

A Palavra de Deus para aqueles que não podem ler ou enxergar, e para os que desejam ouví-la no carro ou em momentos de comunhão a sós ou em família. Narrada pelo Pastor Paulo Castelan, editada em 2001, com texto ACF da Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil. (Clique na Imagem)

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: