Liliana Viana

Archive for the ‘Cotidiano’ Category

(Colaboração: Marlene Eich)

Havia dois irmãos que visitavam seus avós no sítio, nas férias.

Felipe, o menino, ganhou um estilingue para brincar no mato. Praticava sempre, mas nunca conseguia acertar o alvo.

Certa tarde viu o pato de estimação da vovó… Em um impulso atirou e acabou acertando o pato na cabeça e o matou. Ele ficou chocado e triste!

Entrou em pânico e escondeu o pato morto no meio da madeira! 

Beatriz, a sua irmã viu tudo mas não disse nada aos avós.

Após o almoço no dia seguinte, a avó disse: “Beatriz, vamos lavar a louça”

Mas ela disse: ” Vovó, o Filipe me disse que queria ajudar na cozinha”. E olhando para ele sussurrou: “Lembra do pato?” Então o Felipe lavou os pratos.

Mais tarde o vovô perguntou se as crianças queriam pescar e a vovó disse: “Desculpe, mas eu preciso que a Beatriz me ajude a fazer o jantar.” 

Beatriz apenas sorriu e disse, “Está bem, mas o Filipe me disse que queria ajudar hoje”, e sussurrou novamente para ele, “Lembra do pato?”

Então a Beatriz foi pescar e Filipe ficou para ajudar.

Após vários dias o Filipe sempre ficava fazendo o trabalho da Beatriz até que ele, finalmente não agüentando mais, confessou para a avó que tinha matado o pato.

 vovó o abraçou e disse: “Querido, eu sei… eu estava na janela e vi tudo, mas porque eu te amo, eu te perdoei. Eu só estava me perguntando quanto tempo você iria deixar a Beatriz fazer você de escravo!”

Qualquer que seja o seu passado, ou o que você tenha feito… (mentir, enganar, seus maus hábitos, ódio, raiva, amargura, etc )…. seja o que for… você precisa saber que Deus estava na janela e viu tudo como aconteceu

Ele conhece toda a sua vida … Ele quer que você saiba que Ele te ama e que você já está perdoado. Ele está apenas querendo saber quanto tempo você vai deixar o diabo fazer de você um escravo

Deus só está esperando você pedir perdão, Ele não só perdoa, mas Ele se esquece.

“A vontade de Deus nunca irá levá-lo aonde a Graça de Deus não irá protegê-lo.”

DEUS SEMPRE ESTÁ NA JANELA VENDO TUDO, E O MAIS INCRÍVEL É QUE ELE SEMPRE NOS PERDOA.

(Colaboração Maeli Alves)

Conta-se uma história de um empregado em um frigorifico da Noruega.
Certo dia ao término do trabalho foi inspecionar a câmara frigorifica.  Inexplicavelmente, a porta se fechou e ele ficou preso dentro da camara.
Bateu na porta com força, gritou por socorro, mas ninguém o ouviu, todos já haviam saído para suas casas e era impossível que alguém pudesse escutá-lo.
Já estava quase cinco horas preso, debilitado com a temperatura insuportável.
De repente a porta se abriu e o vigia entrou na câmara e o resgatou com vida.
Depois de salvar a vida do homem, perguntaram ao vigia:  Porque foi abrir a porta da câmara se isto não fazia parte da sua rotina de trabalho?.
Ele explicou: Trabalho nesta empresa há 35 anos, centenas de empregados entram  e saem aqui todos os dias e ele é o único que me cumprimenta ao chegar pela manhãe se despede de mim ao sair.  Hoje pela manhã disse “Bom dia” quando chegou.Entretanto não se despediu de mim na hora da saída. Imaginei que poderia ter-lhe  acontecido algo. Por isto o procurei e o encontrei.

Pergunta: Será que você seria salvo????????

Harvest Field of the Dakotas, Jack Outhier, Editor. 

(Colaboração de Rosilene Cândido)

Você já viu um passarinho dormindo num galho ou num fio, sem cair? Como é que ele consegue isso? Se nós tentássemos dormir assim, iríamos cair e quebrar o pescoço. O segredo está nos tendões das pernas do passarinho. Eles são construídos de forma que, quando o joelho está dobrado, o pezinho segura firmemente qualquer coisa. Os pés não irão soltar aquela coisa até que ele desdobre o joelho para voar. O joelho dobrado é o que dá ao passarinho a força para segurar qualquer coisa.
É uma maravilha, não é? Que desenho incrível que o Criador fez para segurar o passarinho. Mas, não é tão diferente em nós. Quando nosso “galho” na vida fica precário, quando tudo está ameaçado de cair, a maior segurança, a maior estabilidade nos vem de um joelho dobrado – dobrado em oração. Salmo 34:15-18.

(Colaboração Antônio Noanta)

Certa manhã, meu pai, muito sábio, convidou-me a dar um passeio no bosque e eu aceitei com prazer.

Ele sentou numa clareira e depois de um pequeno silêncio me perguntou:

– Além do cantar dos pássaros, você está ouvindo mais alguma coisa?

Apurei os ouvidos alguns segundos e respondi:

– Estou ouvindo um barulho de carroça.

– Isso mesmo, é uma carroça vazia …

– Como pode saber que a carroça está vazia, se ainda não a vimos?

– Ora, é muito fácil saber que uma carroça está vazia por causa do barulho.

Quanto mais vazia a carroça maior é o barulho que faz.

Tornei-me adulto, e até hoje, quando vejo uma pessoa falando demais, gritando (no sentido de intimidar), tratando o próximo com grossura inoportuna, prepotente, interrompendo a conversa de todo mundo e querendo demonstrar que é a dona da razão e da verdade absoluta, tenho a impressão de ouvir a voz do meu pai dizendo:  Quanto mais vazia a carroça, mais barulho ela faz…
(Autor Desconhecido)

Autor Desconhecido (Esta é uma colaboração do irmão José Ricardo Moura)

O culto transcorria dentro do normal quando o jovem pastor, no lugar dos avisos finais, chamou um senhor para que esse lhes contasse uma história. Depois dos costumeiros cumprimentos, disse aos que lá estavam:

– O que vou contar a vocês aconteceu há alguns anos atrás. Um pai, seu filho e um amigo dele estavam navegando em pleno mar aberto quando foram surpreendidos por uma tempestade. Mesmo sendo experiente, o pai não conseguiu evitar que a força das ondas arrastasse o seu filho e o amigo para dentro do mar. Sem demora o pai pegou a única bóia de resgate que havia e teve que tomar uma difícil decisão: a qual dos jovens deveria lançar a bóia. Não tinha muito tempo.
Sabia que seu filho era temente a Deus, serio cumpridor dos mandamentos; mas seu amigo infelizmente não era. Como a angústia aumentava na medida em que a tempestade também ficava pior, o pai não teve dúvidas. Gritou ao seu filho:

– Querido, sabes que eu te amo e que Deus é todo misericordioso, lança-te nas mãos d’Ele! E atirou a bóia para o outro, salvando-o. Seu filho, no entanto, desapareceu nas ondas e nem mesmo seu corpo foi encontrado. Todos olhavam com atenção, e ele concluiu:

– O pai, tomou essa decisão, pois sabia que seu filho, morrendo, iria para Deus, mas temia pelo destino de seu amigo, que trilhava o mal caminho. Por isso escolheu abandonar o filho e salvar o outro.

Depois dos aplausos, no final da reunião, um jovem veio ao encontro do senhor e disse:

– Foi uma bela história. Reconhecemos nela o Amor que Deus tem para conosco, entregando Seu Filho para a nossa salvação. Mas, no caso real, será que esse pai agiu corretamente, apostando a vida do seu filho na conversão do outro? Será que este se converteu?

E o senhor, numa dor expressiva, concluiu:

– Compreendo o que você diz. Pode ser que ele não tivesse visto bem a realidade no angustiante momento de tomar aquela terrível decisão. É bem possível. Mas tenho algo a lhe dizer: É que esse pai sou eu, e o amigo de meu filho, é este jovem pastor.

Moral da Historia: muitas vezes devemos sacrificar o que nos agrada para que possamos ver a graça ou o milagre que Jesus quer fazer em nossa vida. Sacrifício significa amor, confiança e entrega. Deus reserva o melhor pra você, confie no Seu Amor e se lance na Sua Misericórdia.

Certo domingo uma criança começou a fazer bagunça durante o culto de adoração matinal. Os pais fizeram o que podiam para manter algum senso de ordem, mas parecia ser uma batalha perdida.

Finalmente, o pai pegou o garotinho e percorreu constrangido o corredor em seu caminho para fora do auditório. Pouco antes de chegar à porta de saída, o filho gritou para a congregação: “Orem por mim! Orem por mim!”

Mesmo os momentos mais sérios da paternidade podem acabar em gargalhadas quando crianças estão envolvidadas…

Acreditamos plenamente que Deus desejou que a paternidade fosse a tarefa mais desfrutável e agradável do mundo.

Do livro APRENDA A SER PAI COM O PAI. Autores: Kenneth Gangel e Jeffrey Gangel.

MEU COMENTÁRIO: Em nossa caminhada cristã temos observado muitos pais sisudos. Ambientes familiares sem a presença da alegria, fruto do Espírito, que deveria fazer parte da nossa vida diária.

Sem perder sua autoridade: Pai, por favor, permita-se sorrir.

Hoje Particularmente estou pensando sobre nossa conduta cristã. Como tem sido a vida cotidiana dos crentes diante deste mundo pecador? Como deve ser o nosso proceder? Assim, busquei o comentário bíblico do Salmo 1.

Comentário Bíblico Moody (Grifos meus entre parênteses, em negrito e em itálico)

Este salmo apresenta em contraste agudo os dois extremos – o modo de vida verdadeiramente honesto e o modo basicamente perverso (E olha conheço crentes que são PERVERSOS). O contraste introduz de maneira didática as duas categorias de homens a serem descritos em todo o Salmo. O salmista continua com a antítese, mostrando os destinos presente e futuro de cada grupo.

Versos de 1-3. O Caminho do Homem Justo.

Bem-aventurado o homem. O Salmo começa com uma forte interjeição: Oh! que felicidade do homem que segue o plano de Deus. Os verbos andar, se deter, se assentar, descrevem os passos característicos do perverso que o justo evita: aceitação dos princípios dos ímpios, participação das práticas de pecadores declarados e finalmente a união com aqueles que zombam abertamente (muitos “crentes” se unem nas práticas dos pecadores e até zombam de outros). Observe o paralelo triplo entre os três verbos e suas cláusulas modificadoras. A mudança então se faz da recusa negativa para o deleite positivo. Tal homem medita ou constantemente reflete nos ensinamentos divinos. Como resultado, ele se torna cada vez mais como uma “árvore transplantada”, com as raízes nas realidades eternas. Vitalidade constante lhe é assegurada e o sucesso final é certo porque ele colocou a sua confiança firmemente em Deus.

Versos de 4-6. O Caminho do Homem Ímpio.

Os ímpios não são assim. Agora surge uma mudança abrupta com as palavras não são assim. O agudo contraste intensifica-se com o uso deste termo frequente para os ímpios, que representa a antítese exata para o outro termo, os justos. Diferindo da árvore firmemente estabelecida, os ímpios são varridos pelo vento. O quadro é de uma eira no alto de uma colina, onde o vento carrega a palha e deixa o grão. Em construção paralela, os dois grupos (ímpios e pecadores) não têm a promessa de participação na companhia vindicada dos justos. Enquanto Deus conhece ou se preocupa com o caminho dos justos, os ímpios simplesmente vão à deriva até a final destruição.

CONCLUSÃO:

NA SUA VIDA DIÁRIA, EM QUAL GRUPO ESTÁ VOCÊ MEU AMADO IRMÃO?

A RESPOSTA A ESTA PERGUNTA DETERMINA SEU FUTURO. PENSE NISSO!


Visite meu outro BLOG

POR CAUSA DA FLOR. Essa é uma simples estória de uma lama, que morou perto de uma flor e adquiriu o seu perfume. Que sejamos contagiados pelo aroma de Cristo. DEle somos o Bom Perfume.
http://porcausadaflor.wordpress.com/

REFLEXÃO

Quando nos deparamos com a escolha de caminhos, a questão não é: Isto é bom ou mau? É útil ou nocivo? Não; a pergunta deve ser: ‘Isto é do mundo ou de Deus?’ Uma vez que só há este conflito no universo.

(Watchman Nee)

A BÍBLIA EM AUDIO

A Palavra de Deus para aqueles que não podem ler ou enxergar, e para os que desejam ouví-la no carro ou em momentos de comunhão a sós ou em família. Narrada pelo Pastor Paulo Castelan, editada em 2001, com texto ACF da Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil. (Clique na Imagem)

%d blogueiros gostam disto: